Busca

Monday, 14 July 2014

Fabaceae - Aeschynomene viscidula Michx.



Frutos lomentos com 3 segmentos
Leguminosae - Papilionoideae - Dalbergieae - Aeschynomene L. 175 - 180 espécies (Lewis et al. 2005).


No Brasil são encontradas 49 espécies, das 26 são endêmicas. (Lima et al. 2015).


Aeschynomene viscidula Michx., Flora Boreali-Americana 2: 74–75. 1803.

Erva prostrada; ramos longos, cilíndricos, com tricomas  glandulares e hirsuto. Estípulas lanceoladas, não peltada. Folhas compostas, imparipinadas, folíolos 7-9, subalternos, obovados, ápice arredondado, mucronado, margem inteira, base assimétrica, pecíolo curto. Inflorescências, axilares, panículas, laxas; brácteas pouco desenvolvidas, ovadas; flores monoicas, pequenas, amarelas, cálice pequeno, campanulado, lacínios 5, verde, corola 5, amarelas, estames 10, diadelfo. Frutos séssil, lomento 2-3 segmentos, arqueado,  margem superior reta e margem inferior crenada.

Comentários

As plantas observadas de restinga e mata Atlântica com frutos apresentam constantemente com 2 segmentos, enquanto na caatinga apresentam 3.
Esta espécie apresenta hábito decumbente semelhante a A. falcata, A. brasiliensis e A. elegans.
Bentham (1862) coloca essas espécies num grupo que apresenta o hábito herbáceo, difuso ou prostrado, racemos axilares, folíolos brevemente longiorbiculados, legume pequeno articulado, legume com seio profundamente articulado. Bom no passo seguinte temos frutos com cálice pequeno e estipes curtos, e separa três espécies A. hystrix, A. viscidula e A. brasiliensis. A primeira espécie é um subarbusto erecto diferente das outras duas. Bentham (1862) em seu tratamento deve ter visto muito pouco material pois fala que A. histrix tem apenas 2 articulos e as demais 3. No material da restinga vemos que A. viscidula apresenta 2 articulos que tornaria a chave inviável.
A. viscidula e A. brasiliana  foram separados pelo tipo de indumento no fruto. A. viscidula tem legume patente e hidsuto e A. brasiliana fruto reflexo e glabro.

Lima et al. (2006) tratando das espécies do Mato Grosso do Sul, da ênfase ao tipo de estípula que pode ser peltada ou não peltada, e pelo fruto que pode ter ou não frutos unidos por istmos, sendo este caracteres referentes a seção Ochopodium. As espécies supracitadas entram naquelas nitidamente não peltadas e com frutos tendo os segmentos unidos por istmos,  seguindo o agrupamento semelhante ao de Bentham (1862).
Aqui A. histrix é contra ponto de A. brasiliana, no entanto, creio que tratam-se de espécies bem delimitadas.
A. viscidula e A. brasiliana são mais confusas, no entanto ao observar os materiais percebi que Bentham (1862) foi muito acertivo quando evidenciou os frutos glabros em A. brasiliana e hirsuto em A. viscidula, aqui evidenciamos para o fato de a primeira espécie tem fruto estipitado enquanto a segunda apresenta frutos sésseis.
Além disto A. brasiliana é uma espécie de cerrado presente mais na região centro-oeste e sudeste, enquanto A. viscidula ocorre na região nordeste.

A. elegas se distingue de A. viscidula pelo número de artículo, esta tem de 2-3 segmentos enquanto aquela tem sempre mais de cinto, além fruto com estipe longo, enquanto esta é séssil.

A. falcata é distinto de A. viscudula pelo fruto daquele que é longamente estipitado e este séssil.

Fotos: Rubens Teixeira de Queiroz
Local: Reserva das almas - Sumé - PB

Referências

-Lewis, G., Schrire, B., Mackinder, B., Lock, M. 2005.  Legumes of the world. Royal Botanic  Gardens, Kew, 577p.
-Lima, L.C.P. ; Oliveira, M.L.A.A.; Souza, V.C. 2015. Aeschynomene in Lista de Espécies da Flora do Brasil.
-Lima, L.C.P.; Sartori, A.L.B. & Pott, V.J. 2006. Aeschynomene L. (Leguminosae, Papilionoideae, Aeschynomeneae) no Estado de Mato Grosso do Sul, Brasil. Hoehnea 33(4): 419-453


-Michaux, André. 1803. Aeschynomene viscidula Michx. Flora Boreali-Americana 2: 74–75.
 

Exsicatas

No comments:

Post a Comment