Busca

Showing posts with label Dioclea. Show all posts
Showing posts with label Dioclea. Show all posts

Wednesday, 27 August 2014

Fabaceae - Dioclea violacea Mart. ex Benth.

 Pseudorracemos longo e congesto, reto, flores com pétalas violeta (f. 1)
 Folhas trifolioladas com venação muito marcada na face abaxial (f. 2)
Folíolo obovado, nervuras secundárias retas (f. 3)
Botões numerosos em distintos tamanhos (f. 4)
Estandarte reflexo, lilás, alas livres, quilha adnata ao tubo estaminal (f. 5)
Bractéolas 2, ovada, cálice campanulado, lobos do cálice 4 (f. 6)

Leguminosae, Papilionoideae, Phaseoleae, Dioclea Kunth. ca 60 espécies (Lewis et al. 2005)

No Brasil ocorrem 32 espécies das quais 15 são endêmicas (Queiroz 2015).


Dioclea violacea Mart. ex Benth., Commentationes de Leguminosarum Generibus 69. 1837.
Planta liana, volúvel, ramo cilíndrico, serício, inerme. Estípula 2, peltada. Filotaxia alterna, espiralada. Folha trifoliolada, folíolo basal ovado, apical obovado, ápice cuspidado, margem inteira, base obtusa, homicordada, nervuras expressas na face abaxial, glabra em ambas faces, pecíolo 4 x maior que o comprimento da raque. Inflorescência axilar, pseudorracemo, multifloro, pedúnculo reto; botões de vários tamanhos, oblongos, vináceo; bractéolas 2, ovadas. Flor pequena, subséssil, monoica; cálice campanulado, coriáceo, lobos 4; corola papilionácea, pétala 5, unguiculadas, violetas, estandarte oblato, reflexo com calosidade, ala livre, ovada, quilha cocleada, adnata ao tubo estaminal; androceu diadelfo, estames 10, anteras heteromórficas; gineceu 1, monocarpelar, ovário súpero, tomenoso, multicelular. Fruto legume, plano,falcado, valva lignosa, tomentosa. Semente plana, orbicular, testa dura, lisa, marrom, hilo linear.



Comentário

Espécie com ampla distribuição nas áreas de Mata Atlântica. Esta espécie é muito semelhante morfologicamente a D. grandiflora, todavia esta tem distribuição restrita a caatinga e aquela a mata Atlântica. D. violacea tem estípula peltada vs. estipula lanceolada  em D. grandiflora.
Na Paraíba ocorre na região litorânea, nos remanescentes de mata em João Pessoa.

Plantas trepadeira. Estandarte com calos, Legume comprimido com sutura superior dilatada, mais ou menos curvo, semente com hilo linear ou oblongo. Dioclea   (Barroso 1991).

EtimologiaNome dado por Kunth em homenagem a Diocles de Caristo, médico Grego

Nome popular: Mucunã

Fotos: Rubens Teixeira de Queiroz, Capela, Sergipe, Brasil.

Referências

-Barroso, G.M. Sistemática de Angiospermas do Brasil. UFV. Viçosa. 1991. 377p. v2.
-Lewis, G.; Schrire, B.; Mackinder, B. & Lock, M. 2005 Legumes of the World. Kew, Royal Botanic Gardens.
-Queiroz, L.P. Dioclea in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Available in: . Access on: 26 Mar. 2015


Exsicatas

Thursday, 24 October 2013

Fabaceae - Dioclea virgata (Rich.) Amshoff

 Corola papilionácea, pétalas unguiculadas, estandarte patente, com calo na base e mancha escura acima do calo (f. 1)
 Alas livres, ovadas (f. 2)
 Pseudorracemo longo, flores pediceladas, cálice campanulado, com lacínios triangulares (f. 3)
 
 Inflorescência multiflora (f. 4)
Raque cilíndrica (f. 5)
 Estandarte ovado, patente, alas livres (f. 6)
 Alas extraídas, quilha obovada falcada, unidas, margem superior fimbriada (f. 7)
 Cálice campanulado, lacínios 4, quilha unida, estriada (f. 7)
 Cálice bilabiado (f. 8)
 Dois lacínios unidos, estrias e máculas no tubo do cálice (f. 9)
 Quilha unida (f. 10)
 Androceu pseudomonadelfo (f. 11)
 Androceu envolvendo o gineceu, anteras isomórficas (f. 12)
ovário linear, seríceo, estilete liso, estigma capitado (f. 13)
 Flores com estandarte orbicular, lilás com parte violeta e calos na base (f. 14)
Pseudorracemo com braquiblastos curtos (f. 15)
Pseudorracemo longo (f. 16)
 Folha jovem (f. 17)
Folha composta trifoliolada (f. 18)
 Frutos legume, plano (f. 19)
Fruto plano com valva superior, levemente alada (f. 20)
Comprimento do fruto, indumento rufo, híspido (f. 21)
Sementes oblonga, hilo horizontal (f. 22) 
Sementes na vagem (f. 23)

Leguminosae-Papilionoideae, Phaseoleae, Dioclea Kunth. ca 60 spp. (Lewis et al 2005)

No Brasil ocorrem 32 espécies das quais 15 são endêmicas (Queiroz 2015).


Dioclea virgata (Rich.) Amshoff, Mededeelingen van het Botanisch Museum en Herbarium van de Rijks Universiteit te Utrecht 52: 69. 1939.

Basiônimo: Dolichos virgatus Rich., Actes de la Société d'Histoire Naturelle de Paris 1: 111. 1792.

Descrição
Liana; ramos lignosos, cilíndricos, estrigiloso, escuros. Estípulas inconspícuas. Folhas compostas, trifolioladas; folíolos basais elípticos-ovados, terminal elíptico-obovado, ápice suavemente cuspidado, margem inteira, base nos basais arredondada, assimétrica, no apical cuneado, face abaxial e adaxial estrigilosos, membranácea, nervuras expressas na face abaxial. Inflorescência axilar, pseudorracemo, longos, escuros. Botões falcados. Flores grandes, pedicelada, monoica; cálice campanulado, dentes 5, triangulares; corola 5, pétalas unguiculadas, lilases; estandarte largo orbicular, reflexo, com uma mancha violeta no centro, calos na base; alas elípticos-falcadas; quilha com margem superior fimbriada; androceu diadelfo, anteras elípticas, rimosas, dorsifixas; gineceu ovário não estipitado, densamente estrigoso, oblongo; estilete longo, estigma puntiforme. Frutos legume típico, plano, margem da valva superior com uma pequena proeminência alariforme, estrigoso, ocráceo, valvas lignosas. Sementes achatadas, oblongas, marmoradas, hilo oblongo, largamente horizontal.

Comentários

É uma espécie que é encontrada em ambientes de mata presente em todos os fragmentos de mata na região litorânea da Paraíba, não adentrando o sertão.

Facilmente reconhecida pela flor com as alas elípticas, e a quilha fortemente fimbriada no ápice, os frutos plano e as sementes marmoradas são completamente distinta das demais espécies.

Fotos: Rubens Teixeira de Queiroz - Campus I - UFPB

Etimologia: nome dado por Kunth em homenagem a Diocles de Caristo, médico Grego.

Referências

-Barroso, G.M. Sistemática de Angiospermas do Brasil. UFV. Viçosa. 1991. 377p. v2.
-Lewis, G.; Schrire, B.; Mackinder, B. & Lock, M. 2005 Legumes of the World. Kew, Royal Botanic Gardens
-Queiroz, L.P. Dioclea in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Available in: . Access on: 26 Mar. 2015

Exsicatas

http://www.tropicos.org/Name/13017926
http://reflora.jbrj.gov.br/jabot/herbarioVirtual/ConsultaPublicoHVUC/BemVindoConsultaPublicaHVConsultar.do
http://coldb.mnhn.fr/ScientificName/Dioclea/virgata
http://sweetgum.nybg.org/vh/specimen_list.php?QueryName=BasicQuery&QueryPage=http%3A%2F%2Fsciweb.nybg.org%2Fscience2%2Fvii2.asp&Restriction=NybRecordType+%3D+%27Specimen%27&StartAt=1&any=SummaryData|AdmWebMetadata&QueryOption=any&Submit=Search&QueryTerms=Dioclea+virgata

Friday, 25 May 2012

Fabaceae - Dioclea burkartii R.H. Maxwell

Alas enormes (f. 1)
Alas obovadas, fruto jovem, tomentoso (f. 2)
Pseudorracemo congesto (f. 3)
Folhas tomentosas (f. 4)
Estandarte retuso (f. 5)
Estandarte e alas latos (f. 6)
Hábito (f. 6)
Pseudorracemo longo (f. 7)
Leguminosae-Papilionoideae, Phaseoleae, Dioclea Kunth. ca 60 spp. (Lewis et al 2005) nome dado por Kunth em homenagem a Diocles de Caristo, médico Grego.

No Brasil ocorrem 32 espécies das quais 15 são endêmicas (Queiroz 2015).

Lianas. Ramos tomentosos. Trifolioladas. Racemos longos. 

Plantas trepadeira. Estandarte com calos, Legume comprimido com sutura superior dilatada, mais ou menos curvo, semente com hilo linear ou oblongo. Dioclea   (Barroso 1991).

Facilmente encontrada em ambientes rochosos.

-Barroso, G.M. Sistemática de Angiospermas do Brasil. UFV. Viçosa. 1991. 377p. v2.
-Lewis, G.; Schrire, B.; Mackinder, B. & Lock, M. 2005 Legumes of the World. Kew, Royal Botanic Gardens
-Queiroz, L.P. Dioclea in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Available in: . Access on: 26 Mar. 2015


http://www.tropicos.org/Name/13002290
http://coldb.mnhn.fr/ScientificName/Dioclea/burkartii

Thursday, 20 October 2011

Fabaceae - Dioclea bicolor Benth.

Flores rosa, estandarte largo-obrgicular, alas falcadas (f. 1)
Botão falcado (f. 2)
Estandarte reflexo (f. 3)
Leguminosae, Papilionoideae, Phaseoleae, Dioclea Kunth. ca 60 espécies (Lewis et al. 2005).

 nome dado por Kunth em homenagem a Diocles de Caristo, médico Grego.

No Brasil ocorrem 32 espécies das quais 15 são endêmicas (Queiroz 2015).

Plantas volúveis. Estandarte com calos, Legume comprimido com sutura superior dilatada, mais ou menos curvo, semente com hilo linear ou oblongo. Dioclea   (Barroso 1991).

FotosRubens Teixeira de Queiroz  - Unemat  Nova Xavantina-MT- Brasil. 

Referências


-Barroso, G.M. Sistemática de Angiospermas do Brasil. UFV. Viçosa. 1991. 377p. v2.
-Lewis, G.; Schrire, B.; Mackinder, B. & Lock, M. 2005 Legumes of the World. Kew, Royal Botanic Gardens
-Queiroz, L.P. Dioclea in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Available in: . Access on: 26 Mar. 2015

Exsicatas

Wednesday, 5 October 2011

Fabaceae - Dioclea grandiflora Mart. ex Benth.

Estandarte orbicular reflexo, calos ou guia de néctar base amarelo, alas orbiculares com ápice levemente falcado (f. 1) 
Folhas com pecíolo longo, pseudorracemo congesto (f. 2)
Hábito liana sobre um inselbergue (f. 3)
 Gena apical e estípulas triangulares (f. 4)
 Brácteas lineares (f. 5)
 Brácteas vilosas, botões jovens (f. 6)
 Fruto jovem (f. 7)
 Ala oblata (f. 8)
 Quilha unida (f. 9)
 Tubo estaminal pseudomonadelfo (f. 10)
Folha trifoliolada, nervuras retas impressas (f. 11)
 Alas bem abertas (f. 12)
 Pseudorracemo (f. 13)
 Cálice campanulado, lacínios falcados, pétalas lilás (f. 14)

Bractéolas (f. 15)
 
 Fruto legume (f. 16) 
 Legume seco (f. 17)
Semente (f .18)
Semente orbicular, testa dura (f. 19) 
Hilo horizontal (f. 20)

Leguminosae-Papilionoideae, Phaseoleae, Dioclea Kunth. ca 60 spp. (Lewis et al 2005) nome dado por Kunth em homenagem a Diocles de Caristo, médico Grego.

No Brasil ocorrem 32 espécies das quais 15 são endêmicas (Queiroz 2015).

Dioclea grandiflora Mart. ex Benth., Commentationes de Leguminosarum Generibus 68–69. 1837.

Lianas, caule cilíndrico, inerme, cinza; ramos tomentosos, rufos. Folhas compostas, trifolioladas; folíolos basais ovado-oblongo, ápice levemente cuspidado, margem inteira, base truncada, folíolo apical, ovado, ápice levemente cuspidado, margem inteira, base aguda-obtusa; face adaxial e abaxial tomentosa-vilosa, nervuras evidentes na face abaxial, coriáceo, raque curta. Inflorescência axilar, racemos longos. Brácteas lineares, caducas, vilosas. Botão clavado-falcado, violeta. Flor subséssil, papilionácea, monoica e perfumada. Bractéola 2, ovada. Cálice campanulado, dentes 5, estreitamente-triangulares; corola 5, pétalas unguiculadas, lilás; estandarte reflexo, com calos amarelos no ápice da unguicula; alas oblatas; quilha unida; androceu pseudomonadelfo, branco, estames 10, parte livre muito curta; gineceu séssil, ovário pluriovulado, tomentoso. Fruto legume, plano, tomentoso, oblongo-curvado. Sementes 2-6, orbicular, plana, lisa, com hilo horizontal, marrom, testa muito dura

Esta espécie é facilmente reconhecida pelo fruto e por suas sementes.

Espécie próxima de D. violacea pela ausência de tricoma nos foliolos nesta e presença em D. grandiflora.

Esta espécie pode ser encontrada no Cariri e no Sertão paraibano, foi fotografada em Camalaú - PB.

Nome popular: mucunã

Facilmente encontrada em afloramentos rochosos.

Fotos: Rubens Teixeira de Queiroz - tiradas no sítio Serrinha do Canto, Serrinha dos Pintos, RN - Brasil.

Referências

-Barroso, G.M. Sistemática de Angiospermas do Brasil. UFV. Viçosa. 1991. 377p. v2.
-Lewis, G.; Schrire, B.; Mackinder, B. & Lock, M. 2005 Legumes of the World. Kew, Royal Botanic Gardens
-Queiroz, L.P. Dioclea in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Available in: . Access on: 26 Mar. 2015

Exsicatas