Busca

Showing posts with label Apuleia. Show all posts
Showing posts with label Apuleia. Show all posts

Monday, 17 February 2014

Fabaceae - Apuleia leiocarpa (Vogel) J.F. Macbr.

Inflorescência cauliflora, axilar, racemo (f. 1)
 Flores brancas, 3 pétalas, 3 estames, anteras amarelas (f. 2)
Janeiro a fevereiro é época de floração (f. 3)
Flores díclinas, estaminadas com 3 estames e pistilada com 1 pistilo (f. 4)
fores em antese e com fruto embrionário (f. 5)
sépalas reflexas (f. 6)
racemo  breve (f. 7)
Flor trímera (f. 8)
Ramo com frutos imaturos (f. 9)
Filotaxia alterna, dística, folha imparipinada, face adaxial (f. 10)
Folha com folíolos alternos (f. 11)
Folíolos ovado, discolores (f. 12)
folíolo apical, elítico, ápice cuspidado, margem inteira, base obtusa, glabro (f. 13)
Fruto sâmara com endocarpo esponjoso, semente obovada (f. 14)
Leguminosae, Dialioideae, Apuleia Mart.  Flora 20(2): 123. 1837.

No Brasil ocorre apenas uma espécie (Lima 2015)


Árvore até 15 metros de altura; ramos lignosos, cilíndricos, glabros, inermes. Estípulas caducas. Folhas compostas, imparipinadas, folíolos 7, alternos, lanceolados, margem inteira, ápice retuso, base obtusa, margem ineteira, face adaxial convexa e face abaxial côncava, coriáceo, glabra. Inflorescência axilar, panícula, corimbosa, congesta. Flores monóicas, trímeras, brancas; cálice esverdeado; corola 3, eretas, alvas, obovada, ápice redondo ou retuso; androceu 3, filetes curtos, anteras 3, oblongas, poricidas, basefixa; gineceu 1, ovário com poucos óvulos, filete curvo, estigma disciforme, esverdeado. fruto sâmara, indeiscente, estipitado, oblongo, base e ápice assimétricos, plano compresso, margens brevemente alada, coriáceo, imaturo verde e ocráceo quando maduro. Sementes 2-3. Fores perfumadas. 

Comentário

Planta que ocorre abundantemente na parte oriental da mata Atlântica acima do rio São Francisco.
Floração e frutificação abundante quando a planta está sem folha.

Devido ao formato do fruto, aparentemente pode-se crer que se trata de um gênero de Dalbergieae, no entanto quando florido é totalmente distinto dos grupos daquela tribo.

Facilmente encontrado no campus I da UFPB.

Fotos: Rubens Teixeira de Queiroz

Primeira vez que coletei uma Apuleia  foi no ano de 2005 em Parnamirim-RN numa RPPN.

Referência

- Lima, H.C. de. 2015. Apuleia in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro.
-Lewis, G.; Schrire, B.; Mackinder, B. & Lock, M. 2005. Legumes of the World. Kew, Royal Botanic Gardens.

Exsicata

http://www.tropicos.org/Name/13015804
http://science.mnhn.fr/institution/mnhn/collection/p/item/p03100956